• Univali

  • Seja você também um profissional da construção naval!

  • Curta nossa FanPage

  • Equipe Ubá Suy Aram

    Desafio Solar Brasil

  • ANI

  • Livro de Regras ABS

    ABS - 2008
  • Principais Estaleiros no Mundo

  • Programação de Navios

    Programação de Navios
  • Arquivos

Itajaí como polo da indústria naval

O complexo portuário de Itajaí terá este ano dois eventos de repercussão. O primeiro, dia 18 de janeiro, quando serão abertas as propostas da licitação para construção da maior marina de vagas molhadas do Sul do Brasil. O segundo, com a realização da etapa brasileira da Volvo Ocean Race, maior regata mundial que no dia 4 de abril fará uma escala em Itajaí. Um evento que está exigindo obras de infraestrutura na Vila da Regata Volvo, abrangendo um espaço superior a 55 mil metros quadrados.
A marina de Itajaí será construída pela iniciativa privada. Recursos de R$ 40 a R$ 50 milhões. Ficará no saco da Fazenda, ao lado da Marejada. Sete empresas pediram o edital. A exploração será em regime de concessão. Serão ao todo 780 vagas molhadas e mais de 200 vagas secas. O projeto compreende restaurantes, lojas e outras atrações turísticas.

Itajaí transformou-se no maior polo da indústria naval de Santa Catarina e um dos maiores do Sul do Brasil. Além de fábricas tradicionais de barcos de recreio, como a Fibrafort, conta com a italiana Azimuth, que começa dentro de dois meses a construção de um moderno estaleiro. A indústria pesada avança celeremente. Duas americanas instalam-se na cidade para produção de módulos das plataformas do pré-sal. A indústria naval, a pesca e o petróleo deram um excepcional impulso a Itajaí, que hoje ocupa o segundo lugar no Estado em arrecadação tributária. Só perde para Joinville.

E a estrutura

Dentro de seis meses deverá inaugurar a nova sede e um show room na área continental, sob a Ponte Hercílio Luz. Tem uma única queixa: o governo estadual, ao invés de estimular novos empreendimentos no setor, incentiva a importação e exporta os empregos. Balneário Camboriú, que já tem na Marina Tedesco, uma das mais modernas do Brasil, lançou a Marina Beach Towers, a primeira do país com apartamentos e vagas exclusivas. A cidade de Biguaçu tem um maravilhoso rio, inexplorado, e há anos conta com uma pequena, mas belíssima marina, o Pier 33. Mas aguarda até hoje liberação ambiental para a dragagem na boca do rio. A ecologia burra impede a obra. O Iate Clube de Porto Belo é outro exemplo clássico de uma marina bem cuidada e bem explorada.

Florianópolis, a ilha mais linda do Brasil, permanece de costas para o mar. Não tem a mínima estrutura náutica. Na virada do ano, o empresário Gilberto Buffara, outro carioca apaixonado pela capital, veio com um iate italiano de 108 pés. Não teve onde atracar e muito menos onde reabastecer. Exemplos como estes multiplicam-se todos os anos. Investidores não faltam. Locais, nacionais e estrangeiros. O grupo Hantei tem um belo e ecológico projeto para a Ponta do Coral. Não terá dragagem e contará com vários espaços públicos, de recreação e eventos artístico-culturais. Investimento privado em área particular. Projeto já aprovado pela prefeitura. Mas os do contra já se mexem. Eles preferem que a área continue espaço dos maconheiros e drogados, com 50 bocas de esgoto dos barracos e uma galeria poluidora que vem dos morros. Ou a cidade se mobiliza ou será vencida pelo atraso.

Por Moacir Peireira

Fonte: Diário Catarinense

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: