• Univali

  • Seja você também um profissional da construção naval!

  • Curta nossa FanPage

  • Equipe Ubá Suy Aram

    Desafio Solar Brasil

  • ANI

  • Livro de Regras ABS

    ABS - 2008
  • Principais Estaleiros no Mundo

  • Programação de Navios

    Programação de Navios
  • Arquivos

Por dentro da profissão de Prático

Para muitos, o grande atrativo da profissão de Prático são os altos salários que hoje oscilam, em média, entre R$ 60.000,00 a 130.000,00 por mês, sendo que nos pontos de maior trâfego da costa brasileira há quem receba R$ 200.000,00 . Mas não se trata de uma profissão fácil, pelo contrário, exige-se do profissional grande responsabilidade, conhecimento, técnica e habilidade.

Quando surgiu a profissão de Prático?

A profissão de Prático é mais antiga do que podemos imaginar. Ela surgiu em 1808 com a rubrica do Principe Regente D. João VI, vigorando assim, o regimento para os pilotos práticos da Barra do porto da cidade do Rio de Janeiro. Esse regimento foi então assinado pelo Visconte de Anadia, Secretário de Estado dos Negócios da Marinha e Domínios Ultramarinos.

Qual o dever do Prático?

Embora muitas pessoas desconheçam, o principal dever do Prático é assegurar a correta manobra do navio dentro da área de praticagem, ou seja, em zonas de águas restritas (portos). O Prático conhece as particularidades geográficas e ambientais do local que é pouco familiar ao comandante, por isso, quando o navio se aproxima de determinado porto, o Prático dirige-se a bordo afim de atracar a embarcação com segurança e eficiência.

Como o Prático é conduzido ao navio?

Na chegada do navio ao porto, o Prático é conduzido a embarcação através de lanchas que possuem padrões especiais para o transbordo seguro do profissional.

Formação do Prático.

A formação do Prático requer um exame e estagio de qualificação, podendo o mesmo fazer sua inscrição em apenas uma Zona Portuária. A manutenção da habilitação do Prático é condicionada à execução de um número mínimo de manobras.

Treinamento para Prático 

O treinamento de um Prático precisa ser longo e cuidadoso visando-se o elevado valor dos navios e de suas cargas. Muitos profissionais enriquecem sua carreira no mar e desenvolvem seu novo ofício entrando em contato com Práticos mais qualificados e através da experiencia adquirida nas manobras. Além disso, contam com a oportunidade de executar simulações computadorizadas ou em pequenos modelos (miniaturas de embarcações). Como em toda profissão, o Prático deve buscar constantemente  o aperfeiçoamento e o conhecimento na sua área de atuação.

Remuneração

Um dos pontos, ou talvez o mais atrativo é a remuneração que a profissão oferece. Os Armadores (grandes transportadores marítimos) são responsáveis pela remuneração, mas o Estado é responsavel por regulamentar a profissão definindo as regras de atuação em campo, fiscalizando o exercício do cargo e coordenando o recrutamento de mão-de-obra. Os salários podem chegar a R$200.000,00 em pontos da costa brasileira cujo trãfego de embarcação é maior, como citado no início da matéria.

Para os que pretendem seguir na carreira de Prático é importante buscar informações a respeito do cotidiano da profissão. Não levem em consideração somente a boa remuneração, mas sim todo o contexto (vantagens e desvantagens) da sua possível futura área de atuação. Lembre-se: COMO EM TODA PROFISSÃO, É NECESSÁRIO TERMOS AMOR PELO O QUE FAZEMOS.

Fontes: Jornal Pelicano

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: