• Univali

  • Seja você também um profissional da construção naval!

  • Curta nossa FanPage

  • Equipe Ubá Suy Aram

    Desafio Solar Brasil

  • ANI

  • Livro de Regras ABS

    ABS - 2008
  • Principais Estaleiros no Mundo

  • Programação de Navios

    Programação de Navios
  • Arquivos

Dicas: Nós de Marinheiro – primeiros passos

Cabo não é corda!

No mundo náutico e maritimo o termo corda não existe!  – á bordo de uma embarcação só existem duas cordas, a do relógio e a do sino – o termo cordame ou cordoalha é empregue para se referir ao massame, que é o conjunto de cabos que aparelham um navio ou que servem para manobrar uma máquina ou um engenho e se divide em fixo e de laborar.

O massame fixo é composto pelos cabos que aguentam a mastreação: ovéns, brandais, estais, patarrazes e cabrestos. O massame de labor é composto pelos cabos usados no trabalho (labor) com os diferentes paus não fixos de um veleiro (retranca, pau de spi) e com as velas, como as escotas da vela grande, e da vela de estai ou do spinnaker .

Os nós estão presente em todos os tipos de embarcações, sejam grosso, fino, pra ancorar, rebocar, de náilon ou poliéster, torcida, trançada, não importa, ele é fundamental para qualquer situação!

E não basta preparar o nó com qualquer cabo, é necessário saber quais cabos utilizar para a condição empregada. Isso influência no peso do material a ser amarrado, no material do próprio cabo, nas condições de cabos submersos ou imersos, como âncoras e bóias salva-vidas.

Veja as característica para uma embarcação de até 15m:

Assim como os comprimentos e os diâmetros, o material de cada cabo é muito importante na sua finalidade, alguns não servem para tais serviços, outros podem ser menos resistente ao sol e abrasão,outros mais resistentes, tem custo alto, não são recomendando para guinchos ou espiais. A tabela á seguir mostra o melhor material para cada função:

Quanto a Trama, podem ser:

  • Torcidas: formados por vários cordões torcidos, que em geral esticam mais, absorvendo melhor impacto. São mais usados em amarras, espias e reboques, situações em os trancos são frequentes.
  • Trançados: são confeccionados com cordões entrelaçados e podem ter a “alma” (núcleo) e capa de proteção, que aumenta a “pega” — este tipo de cabo é bastante indicado para fazer nós, por exemplo. Os cabos trançados não são muito elásticos e fazem menos “coca”, o que significa que torcem pouco ou emaranham menos.

Como fazer o nó e para qual finalidade? 

Nós terminais: usados nos finais dos cabos e servem para impedir que o próprio cabo corra em um olhal.

Nós de liga ou união (para junção de cordas): Nós feito para unir dois cabos.

Continua!

______________________________________________________________________
Fontes: 
http://www.ancruzeiros.pt
http://www.classesagrupadas.xpg.com.br
http://www.fibrafort.wordpress.com

Uma resposta

  1. obrigada, amei essa explicação, vou aprender este, depois aprendo mais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: