• Univali

  • Seja você também um profissional da construção naval!

  • Curta nossa FanPage

  • Equipe Ubá Suy Aram

    Desafio Solar Brasil

  • ANI

  • Livro de Regras ABS

    ABS - 2008
  • Principais Estaleiros no Mundo

  • Programação de Navios

    Programação de Navios
  • Arquivos

Rolls-Royce projetará novas balsas movidas a gás na Itália

Rolls-Royce fecha um acordo com a operadora italiana Lauro Shipping para o desenvolvimento de novas balsas movidas a gás. O projeto se baseará no premiado conceito Environship da companhia britânica.

O negócio marca a primeira vez que um cliente utilizará o conceito para uma embarcação de passageiros. O pedido segue encomendas anteriores por navios de carga, todos beneficiados por tecnologias Rolls-Royce, que reduzem as emissões de gás carbônico em até 40% em relação a embarcações similares movidas a diesel.

A Lauro Shipping é uma das maiores operadoras de balsas da região da Campânia, na Itália. A empresa oferece conexões para as ilhas de Capri e Ischia e é especializada em embarcações de altas velocidades. Recentemente, a companhia adquiriu a Siremar, que opera na Sicília.

O acordo visa o desenvolvimento de uma nova classe de navio, que é escalável para versões menores e maiores. A Rolls-Royce e a Lauro Shipping projetarão as embarcações em conjunto, antes de envolver os estaleiros adequados.

Sistema Promas, para as novas embacações

O diretor executivo da Lauro Shipping, Salvatore Lauro, apontou a importância do acordo: “Estamos felizes em anunciar esse acordo com a Rolls-Royce. Juntos, desenvolveremos um projeto de balsas Ro-Pax inovador e sustentável que cumprirá as mais recentes exigências tecnológicas na redução de emissões. As embarcações terão um consumo energético mais baixo, assim como os custos operacionais”, destacou o executivo.

Já o presidente da divisão Mercante da Rolls-Royce, Neil Gilliver, exaltou as tecnologias da empresa britânica. “Essa última atualização de nosso conceito Environship é a prova de que existe um desejo verdadeiro de proprietários em adotar tecnologias marítimas de ponta para reduzir os impactos ambientais. Estamos ansiosos para começar a trabalhar com a Lauro Shipping nesse projeto, que pode resultar na primeira balsa movida a gás em operação no Mediterrâneo”, disse Gilliver.

“Temos uma vasta experiência de serviço com embarcações a gás, especialmente na Noruega, e o fato de a Lauro Shipping liderar as operações no Mediterrâneo só aumenta as perspectivas mundiais pelo Gas Natural Liquefeito (GNL) como um combustível marítimo”, completou o executivo.

O modelo NVC 256 transportará passageiros e veículos e será a mais recente embarcação a ser projetada a partir do conceito Environship da Rolls-Royce. Ela incorporará diversas características para reduzir os impactos ambientais com aumento da eficiência. Uma delas é um motor movido a GNL.

O novo modelo de barca também contará com soluções Rolls-Royce, como sistemas, equipamentos e projetos. Alguns exemplos são motores Bergen, proa fura ondas (wavepiercing) e um sistema de propulsão Promas 2, que une uma hélice ao leme. Isso reduz o arrastamento da embarcação e aumenta a manobralidade da mesma. Outro traço do sistema é o Eixo Gerador Híbrido (HSG), que gera energia elétrica a partir dos motores, em vez de geradores a diesel auxiliares. O processo otimiza a geração de energia a bordo, ao mesmo tempo que reduz o consumo de combustível e o escape de emissões.

O NVC 256 é o mais recente de uma série de pedidos à Rolls-Royce por embarcações movidas a GNL, que incluem os primeiros rebocadores a gás do mundo, balsas de passageiros e navios de carga (os primeiros com motores GNL, impulsionados pela Rolls-Royce, entraram em operação na Noruega no início de 2012).

Motor Bergen

Pontos-chave do conceito Environship: 

·    O conceito recebeu o prestigiado Next Generation Ship Award no evento NorShipping de 2011, em Oslo, na Noruega.

·   Os motores com queima de gás pobre Bergen B&C da Rolls-Royce, como os usados no conceito Environship, emitem cerca de 22% a menos de gás carbônico (por unidade de potência) do que um motor a diesel convencional.

·    A utilização de motores a gás representa uma redução de aproximadamente 90% das emissões de Óxido de Nitrogênio (NOx), enquanto as de Óxido de Enxofre (SOx) são insignificantes.

·   As emissões já integram os limites estabelecidos pela legislação ambiental Tier III da IMO (Organização Marítima Internacional), que passará a valer em 2016.

·  O sistema de propulsão Promas da Rolls-Royce integra hélice e leme, o que, sozinho, aumenta a eficiência da embarcação de 5% a 8%.

·    Os inovadores formatos de proa e casco, ambos projetados pela Rolls-Royce, reduzem a resistência da embarcação em até 8%. Por isso, as emissões e a queima de combustíveis também são menores.

·   O formato vertical do casco permite à embarcação manter a sua velocidade mesmo em mares agitados. Isso possibilita os operadores a cumprir suas tarefas no prazo correto, sem a necessidade de queimar mais combustível para correr contra o tempo.

·  O Eixo Gerador Híbrido (HSG) da Rolls-Royce otimiza a geração de energia a bordo, com a redução do consumo energético e do escape de emissões.

 

Fontes: Rodrigo M. Barbosa/Rolls-RoyceGroup plc

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: